segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Quebra de monopólio

Tal qual o comercio a ciência também é algumas vezes tratada como mercadoria. Nestes casos, torna-se extremamente difícil o trabalho com espécies, lugares ou mesmo interações que tenham dono. Na contra mão deste processo alguns pesquisadores enfrentam as dificuldades impostas pelo sistema e tentam desenvolver suas pesquisas de forma seria e independente. É com grande satisfação que encaminho (click aqui) um trabalho que tive a oportunidade e o prazer de ajudar a desenvolver. Além de trazer importantes informações sobre a biologia das tartarugas marinhas de quebra também mostra que é possível desenvolver trabalhos locais com qualidade científica e conservacionista.

O trabalho traz uma descrição sobre o comportamento de nidificação de tartarugas marinhas no litoral sul da Bahia. A região passa por um intenso processo de descaracterização das linhas de praia, por conta principalmente da exploração imobiliária. Apesar da baixa ocorrência de desovas, o numero de ninhadas é freqüente ao longo dos anos e compõe provavelmente uma importante fonte de variação genética populacional, contribuindo dessa forma com a saúde demográfica de espécies ameaçadas de extinção.

O trabalho contou ainda com o um programa de educação ambiental, com os pescadores e crianças e turistas na região. Foram registrados também os encalhes de tartarugas marinhas na área de estudo e relatórios sobre todas as atividades foram enviadas aos referidos Órgãos de controle ambiental.

O trabalho também pode ser visto aqui

Abaixo algumas fotos das temporadas de trabalho,

Praia do Pompilho, rastros na areia, estacas de marcação nos ninhos










5 comentários:

Claudia disse...

Re, parabéns por mais esse sucesso!

Maricy disse...

Que legal RE!! Parabéns!

beijos

Xexéu disse...

é isso aí, Mermão!! Ciência anti-globalização!! Parabéns pela publicação, Renateras!! A ciência precisa de caras críticos como você pra expurgar as podridões e se agregar o valor de "mudança do mundo" que ela carrega tão timidamente ainda hoje. Força e luz nessa caminhada, irmão!! Abraço do Andrézinho!

Fernanda disse...

Olá,

Tudo bem? Procurei um email de contato, mas como não encontrei, vou escrever por aqui mesmo. Sou da Duetto Editorial, que publica a revista Scientific American Brasil. Como seu blog aborda assuntos de ciência, mais especificamente ecologia e meio ambiente, acredito que você possa se interessar em receber nossas sugestões de pauta sobre o tema, para futuros posts. Entre em contato comigo para recebê-las, ou ainda para inserir um selinho da revista em seu blog.

Se quiser conhecer o website da Scientific American Brasil, visite http://www.sciam.com.br

Muito obrigada,
Fernanda Figueiredo
Redatora Web
fernanda.figueiredo@duettoeditorial.com.br

abc disse...

Renato, me passe um email para contato! Abraço