domingo, 14 de março de 2010

Pense Bem


Mais um dos objetivos deste blog é alcançado hoje! Novos colunistas se juntam a esta empreitada. Para reciclar esta nova temporada iniciamos AGORA o saga PENSE BEM !

Cada vez que você vir na sua tela esta nostálgica figura, saiba que quem vos fala é Otavio Algusto; biólogo de refinado censo critico e nenhum amor a causa. Humor, sagacidade e ceticismo caminham juntos no pseudônimo - Lobo gaurá.


Carros elétricos


Olá macacada, hoje vamos falar da nova febre mundial no meio automobilístico, os carros elétricos. Na edição da revista QUATRO RODAS de fevereiro, é possível conhecer o novo Chevrolet Volt, o primeiro carro elétrico (na verdade hibrido), de produção em grande escala. Bem nós já sabemos que o carro elétrico é antecessor ao carro a combustão, mas porque então eles não se desenvolveram durante o último século? A resposta esta na indústria do petróleo, que viu uma grande oportunidade de aumentar a demanda investindo em motores a combustão, e fazendo com que esses motores fossem utilizados nos sonhos de consumo de muitas pessoas.

Mas o “BUM” mesmo (nota: quase tudo que nós conhecemos em tecnologia descende dessa época), foi dado a partir da segunda guerra mundial, onde os motores a combustão interna foram utilizados em todos os meios possíveis e imagináveis. No período pós guerra, a tecnologia foi expandida para os civis, e até agora tivemos pouca alteração, do antigo carburador, e da bomba de óleo diesel, passamos para a injeção eletrônica nos dois tipos de combustível, tanto gasolina-etanol, como diesel.

Como o próprio Bill Gates já disse em suas palestras, se o automóvel tivesse evoluído nos últimos 100 anos como os computadores evoluíram, estaríamos andando em carros voadores.

Mas e ai? Temos agora o carro elétrico, e ele funciona a eletricidade, apesar de serem híbridos, ou seja também possuem além do motor elétrico, um motor a combustão (não é fácil se livrar dele!) para produzir energia quando faltar das baterias. Acabaram os carros poluidores? Temos solução para o problema da poluição dos carros? Se no futuro próximo eles não forem mais híbridos, e totalmente elétricos, teremos um veículo que não polui?

Agora é a hora de pensar, de onde vem a energia elétrica que abastece esses carros? No Brasil temos uma fonte grande de hidrelétricas, que apesar de não serem abastecida por combustíveis fósseis, todos nós sabemos o que causa uma hidrelétrica em danos ambientais, mas no resto do planeta, são muitas termoelétricas que abastecem os consumidores, estas movidas a carvão, derivados de petróleo e algumas a madeira.

Então aonde esta a vantagem? O carro elétrico ainda está vinculado à indústria petrolífera, assim como no passado essa não permitiu o desenvolvimento do mesmo, agora ela investe nele como um meio limpo, mas por trás ainda temos o mesmo vilão usando seus artifícios para não baixar sua demanda.

Fiquei pasmo há poucas semanas ao ouvir no noticiário do rádio, que o custo de produção de um barril de petróleo é de 8 dólares, e esse mesmo barril é vendido nas bolsas do mundo por cerca de 80 dólares.

É por isso que eu digo macacada, PENSE BEM antes de abraçar uma nova tecnologia, ou uma nova “onda limpa”.

Lobo Guará

6 comentários:

Cristiane de Paula disse...

Primeiramente venho parabenizar o blog que está cada dia mais interessante e ao novo colaborador, pq sou fã do Otávio e das histórias dele. Será mto bom ler aqui os seus "pensamentos" a cerca do meio ambiente e da nossa sociedade.

Parabéns Renato e Otávio!

Daniela disse...

A GM ja tentou lancar um carro eletrico ha 10 anos atras (o EV1) e a ideia foi totalmente sabotada por varios setores, entre eles: a industria do petroleo em primeirissimo lugar; mas tambem as empresas automobilisticas, incusive a propria GM; a falta de tecnologia em baterias; o governo da California e dos EUA; e nao podemos esquecer do mercado consumidor, sempre receoso com novas tecnologias!!!
Quando eu penso em carro eletrico, acima de um carro que nao emite poluentes, eu penso na independencia do petroleo... Eu penso no dia que nao precisaremos mais ser governados pelos precos do barril de oleo!!!
O Brasil esta a milhares de anos na frente com os carros movidos a etanol e acho q o resto do mundo deveria aprender com os brasileiros!!
Concordo com voce sobre o poder tecnologico do homem e espero por carros movidos a energia solar num futuro bem proximo!
Bom, acho que no final soh sou um pouco mais otimista!!!

Parabens pelo blog!
Beijos
DS

Xexéu disse...

Primeiramente, parabéns pela postagem, Otavinho!!! é bem interessante essa questão dos carros híbridos... um dado importante é que o motor a combustão não só é importante para este carro quando acaba a bateria, mas auxilia no recaregamento da mesma enquanto em funcionamento - algo como um geradorzinho.

No mais, em escala mundial, como você bem disse, continuamos reféns não apenas do petróleo, mas de todo o tipo de combustíveis fósseis.

No mais, grande abraço pra você e pro Renatera!! Espero nos vermos em breve... e agita ele pra gente organizar um ´workshop ou simpósio ambiental aí no IBILCE. Acho que daria pra gente abordar questões importantes que passam longe dos olhos dos profs. da Bio e demais cursos daí. Fique com Deus.

Ubiratan Rabelo disse...

Olá, achei o seu blog muito interativo, com ótimas idéias, ficaria muito grato se pudéssemos trocar informações como seguidores.
Acesse: Worldnovus.blogspot.com
Obrigado

Jornal Instituto Cahon disse...

parabens adoro esse blog, continue com o excelente trabalho

http://www.jornalinstitutocahon.blogspot.com/

Letícia disse...

Olá amigos, deixo aqui a minha dica:
A Rede de Popularização da Ciência e da Tecnologia da América Latina e do Caribe (Red-POP) recebe até 15 de novembro, propostas de trabalho para a 12ª Reunião Bienal (http://www.mc.unicamp.br/redpop2011/) que acontece no Brasil, organizada pelo Museu Exploratório de Ciências (MC), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), de 29 de maio a 2 de junho de 2011.
Com o tema “A profissionalização do trabalho de divulgação científica”, o encontro aceitará tanto trabalhos de pesquisa, de caráter acadêmico, quanto de profissionais da área, interessados em relatar suas experiências. Cinco eixos temáticos vão nortear a 12ª Reunião: Educação não-formal em ciências; Jornalismo científico; Programas e materiais para museus de ciências: materiais e práticas concretas; Museografia e museologia científica; Público, impacto e avaliação dos programas.